Meus videos no YouTube

Loading...

terça-feira, abril 06, 2010

Fino desde o início





Completando 15 anos em 2010, a fragrância Inizzio, da L'acqua di Fiori, foi um dos precursores da perfumaria fina no Brasil. O perfume foi um marco nacional na para a época e hoje é um clássico.
Em 1995, a rede de franquias mineira L'acqua di Fiori iniciou um projeto ousado, que tinha como intuito trazer ao país a perfumaria fina. Para isso, contou com toda a habilidade olfativa do perfumista Luiz Carlos Tsukuda, da Firmenich Brasil, para desenvolver uma fragrância marcante e que fosse reconhecida: “O Inizzio foi nosso primeiro projeto internacional. Além disso, pela primeira vez tivemos a oportunidade de contratar um dos mais importantes ateliers de design de perfumaria no mundo o Ateliers Dinnand - de Pierre Dinnand, um ícone em design de perfumaria e criador das embalagens de grandes clássicos da perfumaria internacional. O design diferenciado e os materiais utilizados no frasco, tampa e cartucho chamam atenção, na época ainda mais pois não tínhamos no Brasil nada parecido”, diz Antonio Eustáquio Mesquita, diretor de desenvolvimento de produtos, conhecido carinhosamente como Taquinho.
Além da embalagem, a empresa trabalhou em uma fragrância que expressasse toda a feminilidade do frasco, com muita personalidade e extremamente sedutora. Um oriental floral, composto por um complexo frutal da saída que combina acordes de frutas maduras (lifescent de red-currant) e frutas secas (cassis licoroso e pêssego). “O corpo floral rosa da Bulgária e hedione foi harmoniosamente associado às notas frutais dando volume e feminilidade a esse perfume. As folhas de violeta foram delicadamente adicionadas para sutilmente refrescar esta exótica composição. Musk captives, firmenich, madeira de sândalo e vetyver compõem o fundo de forma sofisticada e jovem”, completa Taquinho. Ele lembra ainda que o Inizzio foi inspirado na mulher atemporal, sensual e extremamente feminina, que faz questão de ser notada, de ser especial, de ser mulher.
Brasileiramente internacional
A realidade dos perfumes desenvolvidos no Brasil se restringe às fronteiras de nosso país. Vemos diversas marcas internacionais de sucesso vagando por aqui, mas não vemos nossas marcas transitando em outros territórios. Porém, a diretora de comércio internacional da L'acqua di Fiori, Roberta Mesquita, acredita que um dia as empresas brasileiras concentrarão seus esforços para desenvolver um perfume global: “É uma questão de investimento em mídia, os grandes grupos internacionais que são proprietários da maioria das grandes marcas investem somas vultuosas em publicidade no mundo inteiro para vender seus perfumes, A questão da tradição também pesa, mas tenho certeza que é uma questão de tempo”, opina.
Segunda ela, o Brasil possui know how para fazer produtos de primeira linha, pelo fato de ter acesso a profissionais do mundo inteiro: “Já estamos bem evoluídos em termos de embalagens, esbarramos em alguns custos é verdade, principalmente em impostos, mas com o crescimento que até agora (antes da crise) vimos experimentado em nosso setor e eu não tenho dúvida que em breve vamos ter empresas brasileiras com marcas fortes no mercado internacional”, afirma Roberta, apontando que hoje o Brasil é o terceiro país no mundo no consumo de fragrâncias. Inizzio, para L'acqua di Fiori, foi um passo muito importante, por marcar o início de uma nova era. Toda sua feminilidade e sensualidade desde de sua embalagem até as notas que compõem a fragrância fizeram com que ele ganhasse reconhecimento. Fato esse, que segundo Taquinho, fez com que até hoje muitos consumidores acreditem que a L’acqua é uma empresa internacional; e a associam a produtos de alta qualidade.






 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fino desde o início





Completando 15 anos em 2010, a fragrância Inizzio, da L'acqua di Fiori, foi um dos precursores da perfumaria fina no Brasil. O perfume foi um marco nacional na para a época e hoje é um clássico.
Em 1995, a rede de franquias mineira L'acqua di Fiori iniciou um projeto ousado, que tinha como intuito trazer ao país a perfumaria fina. Para isso, contou com toda a habilidade olfativa do perfumista Luiz Carlos Tsukuda, da Firmenich Brasil, para desenvolver uma fragrância marcante e que fosse reconhecida: “O Inizzio foi nosso primeiro projeto internacional. Além disso, pela primeira vez tivemos a oportunidade de contratar um dos mais importantes ateliers de design de perfumaria no mundo o Ateliers Dinnand - de Pierre Dinnand, um ícone em design de perfumaria e criador das embalagens de grandes clássicos da perfumaria internacional. O design diferenciado e os materiais utilizados no frasco, tampa e cartucho chamam atenção, na época ainda mais pois não tínhamos no Brasil nada parecido”, diz Antonio Eustáquio Mesquita, diretor de desenvolvimento de produtos, conhecido carinhosamente como Taquinho.
Além da embalagem, a empresa trabalhou em uma fragrância que expressasse toda a feminilidade do frasco, com muita personalidade e extremamente sedutora. Um oriental floral, composto por um complexo frutal da saída que combina acordes de frutas maduras (lifescent de red-currant) e frutas secas (cassis licoroso e pêssego). “O corpo floral rosa da Bulgária e hedione foi harmoniosamente associado às notas frutais dando volume e feminilidade a esse perfume. As folhas de violeta foram delicadamente adicionadas para sutilmente refrescar esta exótica composição. Musk captives, firmenich, madeira de sândalo e vetyver compõem o fundo de forma sofisticada e jovem”, completa Taquinho. Ele lembra ainda que o Inizzio foi inspirado na mulher atemporal, sensual e extremamente feminina, que faz questão de ser notada, de ser especial, de ser mulher.
Brasileiramente internacional
A realidade dos perfumes desenvolvidos no Brasil se restringe às fronteiras de nosso país. Vemos diversas marcas internacionais de sucesso vagando por aqui, mas não vemos nossas marcas transitando em outros territórios. Porém, a diretora de comércio internacional da L'acqua di Fiori, Roberta Mesquita, acredita que um dia as empresas brasileiras concentrarão seus esforços para desenvolver um perfume global: “É uma questão de investimento em mídia, os grandes grupos internacionais que são proprietários da maioria das grandes marcas investem somas vultuosas em publicidade no mundo inteiro para vender seus perfumes, A questão da tradição também pesa, mas tenho certeza que é uma questão de tempo”, opina.
Segunda ela, o Brasil possui know how para fazer produtos de primeira linha, pelo fato de ter acesso a profissionais do mundo inteiro: “Já estamos bem evoluídos em termos de embalagens, esbarramos em alguns custos é verdade, principalmente em impostos, mas com o crescimento que até agora (antes da crise) vimos experimentado em nosso setor e eu não tenho dúvida que em breve vamos ter empresas brasileiras com marcas fortes no mercado internacional”, afirma Roberta, apontando que hoje o Brasil é o terceiro país no mundo no consumo de fragrâncias. Inizzio, para L'acqua di Fiori, foi um passo muito importante, por marcar o início de uma nova era. Toda sua feminilidade e sensualidade desde de sua embalagem até as notas que compõem a fragrância fizeram com que ele ganhasse reconhecimento. Fato esse, que segundo Taquinho, fez com que até hoje muitos consumidores acreditem que a L’acqua é uma empresa internacional; e a associam a produtos de alta qualidade.






 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Followers